quarta-feira, 21 de julho de 2010

As tuas palavras deixam marcas na minha alma, tal como a água faz marcas na areia da praia assim engolida.

Ainda espero encontrar-te, pessoa desconhecida do meu mundo prestes a desaparecer recentemente. E o amor continua a consumir a minha vida e todas as minhas forças. Mas eu tenho de ser forte e resistir à tentação de te querer. É mais forte do que eu, querer alguém como tu. Tu que insiste em permanecer e aparecer em todos os meus sonhos. Apareces com um vestido negro e cabelos compridos olhando completamente para baixo, com uma voz meiga e face tapada. A tua voz dispersa as minhas eternas memórias. Afogas-me o coração para não ter mais que sentir e pensar naquilo que me consome.

O tempo não cura, apenas aplica uma pequena camada de tranquilidade perante o que já passou.
O tempo não cura!

Sinto saudades do que não controlava. Querer viver um sonho com a esperança calejada nas mãos. Sinto a chuva a escorrer pelo corpo pousando levemente no chão. Por : http://pensamentoinfinito.blogspot.com/2009_05_01_archive.html

Um comentário:

  1. também acho q o tempo não cura, só confunde a memória.

    ResponderExcluir